Diamante: a joia mais resistente e romântica do mundo

Diamante: a joia mais resistente e romântica do mundo

Diamante: a jóia mais resistente e romântica do mundo

O diamante, do grego “adamas” (invencível ou indestrutível), é o mineral mais duro da Terra, classificado em 10 na escala de dureza de Mohs. Na verdade, esta pedra preciosa é tão resistente que o único material que pode arranhar a superfície de um diamante é outro diamante.

Além de estarem relacionados com a abundância e a riqueza, os diamantes são também símbolo de pureza, amor e compromisso. Se tem curiosidade em saber mais sobre a história do diamante, reunimos alguns factos fascinantes sobre esta pedra preciosa e única.

Como se formam os diamantes?

Romanos e gregos acreditavam que os diamantes eram lágrimas choradas pelos deuses ou lascas de estrelas cadentes, e os romanos acreditavam até que as flechas de Cupido tinham pontas de diamantes - esta é talvez a associação mais antiga entre os diamantes e o amor.

 

Mas, na verdade, os diamantes são formados naturalmente através de carbono e a sua origem deriva de há três mil milhões de anos, antes sequer de existir vida na Terra. Em altas temperaturas e elevada pressão, os átomos formam a estrutura cristalina cúbica tão característica desta pedra, que é um verdadeiro “milagre” da natureza.

 

Além do típico incolor, os diamantes podem também ser encontrados em praticamente toda a gama de cores: vermelho, azul, rosa, castanho, entre muitas outras!

Hoje em dia, através de tecnologias avançadas que simulam a formação de um diamante natural sob a crosta terrestre, já são produzidos “diamantes de laboratório”. Estes têm as mesmas propriedades físicas, químicas e óticas dos diamantes extraídos naturalmente, mas são sustentáveis e têm um impacto ambiental mínimo.

Os 4 C’s dos Diamantes

São quatro os principais fatores que determinam a qualidade e valor de um diamante. Os 4 C’s, como são internacionalmente conhecidos, são: cor (color”), pureza (clarity”), lapidação (cut”) e peso em quilates (carat weight”). 

Lapidação

O fator mais importante é a lapidação, referente à forma como as facetas do diamante interagem com a luz. Esta depende da simetria, proporção e polimento da pedra e determina a beleza da mesma.

Se um diamante não tiver uma boa lapidação, terá um aspeto opaco mesmo que as suas classificações de cor e pureza sejam altas. Caso a lapidação seja boa, o diamante vai refletir e refratar a luz, produzindo um brilho intenso.

Este é o único dos 4 C’s que depende de mãos humanas: dois diamantes com a mesma pureza, cor e peso em quilates podem ter uma qualidade e um grau de brilho totalmente diferentes caso a precisão da lapidação (a forma como o tamanho e ângulos se relacionam com as diferentes partes da pedra), simetria (precisão com que as faces do diamante se alinham e intersetam) e polimento (detalhes e posicionamento das formas de cada face e acabamento do diamante) também difiram.

Cor

A cor é a segunda característica mais importante dos 4 C’s pois a sua classificação afeta diretamente a aparência do diamante. Em vez do desejado branco brilhante, uma pedra que tenha uma baixa classificação de cor pode ter uma aparência amarelada.

Na natureza, a maioria dos diamantes incolores apresentam uma tonalidade amarela, mas quanto menos cor um diamante tiver, mais raro e valioso será.

Para classificar as cores, as pedras são avaliadas lado a lado com pedras mestras” com uma iluminação específica, sendo classificadas entre as letras D” (incolor) a Z” (amarelo-claro).

Pureza

Quase todos os diamantes contêm pequenos vestígios de carbono ou outros minerais, chamados de inclusões (no caso de serem impurezas internas) ou manchas (caso sejam externas). Estas só são percetíveis com lentes de ampliação e fazem com que cada pedra preciosa seja única e diferente.

Um diamante será tão mais valioso quanto menos impurezas tiver e é avaliado como puro se, quando ampliado dez vezes, não for visível nenhuma inclusão ou mancha.

Quilate

O quilate, equivalente a 0,2gr, é a unidade standard para calcular o peso de pedras precisas. Caso todos os fatores sejam idênticos, o diamante que tiver maior tamanho, será o mais valioso, mas o peso por si só não determina o valor de um diamante.

O peso em quilates de um diamante não indica necessariamente o tamanho do mesmo, pois um diamante pode ser mais pesado do que outro, mesmo tendo o mesmo tamanho, dependendo da profundidade da lapidação.

O maior diamante já descoberto pesava 3.106 quilates e foi encontrado em 1905 na África do Sul, tendo sido entregue ao rei Edward de Inglaterra e posteriormente cortado em nove diamantes grandes e 100 mais pequenos. Três destes maiores estão em exibição na Torre de Londres como parte das jóias da coroa.

Como cuidar de diamantes?

O pó, a poluição e a utilização diária são fatores que contribuem para o desgaste do brilho das pedras preciosas, pelo que além da limpeza com um kit específico para jóias ou com um produto não abrasivo, os diamantes precisam também de manutenções periódicas profissionais.

A estrela de qualquer anel de noivado

Independentemente do estilo e cravação do anel de noivado, o diamante é sempre o centro das atenções.

Diamante: a jóia mais resistente e romântica do mundo

O diamante, do grego “adamas” (invencível ou indestrutível), é o mineral mais duro da Terra, classificado em 10 na escala de dureza de Mohs. Na verdade, esta pedra preciosa é tão resistente que o único material que pode arranhar a superfície de um diamante é outro diamante.

Além de estarem relacionados com a abundância e a riqueza, os diamantes são também símbolo de pureza, amor e compromisso. Se tem curiosidade em saber mais sobre a história do diamante, reunimos alguns factos fascinantes sobre esta pedra preciosa e única.

 

Como se formam os diamantes?

Romanos e gregos acreditavam que os diamantes eram lágrimas choradas pelos deuses ou lascas de estrelas cadentes, e os romanos acreditavam até que as flechas de Cupido tinham pontas de diamantes - esta é talvez a associação mais antiga entre os diamantes e o amor.

Mas, na verdade, os diamantes são formados naturalmente através de carbono e a sua origem deriva de há três mil milhões de anos, antes sequer de existir vida na Terra. Em altas temperaturas e elevada pressão, os átomos formam a estrutura cristalina cúbica tão característica desta pedra, que é um verdadeiro “milagre” da natureza.

Além do típico incolor, os diamantes podem também ser encontrados em praticamente toda a gama de cores: vermelho, azul, rosa, castanho, entre muitas outras!

Hoje em dia, através de tecnologias avançadas que simulam a formação de um diamante natural sob a crosta terrestre, já são produzidos “diamantes de laboratório”. Estes têm as mesmas propriedades físicas, químicas e óticas dos diamantes extraídos naturalmente, mas são sustentáveis e têm um impacto ambiental mínimo.

Os 4 C’s dos Diamantes

São quatro os principais fatores que determinam a qualidade e valor de um diamante. Os 4 C’s, como são internacionalmente conhecidos, são: cor (color”), pureza (clarity”), lapidação (cut”) e peso em quilates (carat weight”).

Lapidação

O fator mais importante é a lapidação, referente à forma como as facetas do diamante interagem com a luz. Esta depende da simetria, proporção e polimento da pedra e determina a beleza da mesma.

Se um diamante não tiver uma boa lapidação, terá um aspeto opaco mesmo que as suas classificações de cor e pureza sejam altas. Caso a lapidação seja boa, o diamante vai refletir e refratar a luz, produzindo um brilho intenso.

Este é o único dos 4 C’s que depende de mãos humanas: dois diamantes com a mesma pureza, cor e peso em quilates podem ter uma qualidade e um grau de brilho totalmente diferentes caso a precisão da lapidação (a forma como o tamanho e ângulos se relacionam com as diferentes partes da pedra), simetria (precisão com que as faces do diamante se alinham e intersetam) e polimento (detalhes e posicionamento das formas de cada face e acabamento do diamante) também difiram.

Cor

A cor é a segunda característica mais importante dos 4 C’s pois a sua classificação afeta diretamente a aparência do diamante. Em vez do desejado branco brilhante, uma pedra que tenha uma baixa classificação de cor pode ter uma aparência amarelada.

Na natureza, a maioria dos diamantes incolores apresentam uma tonalidade amarela, mas quanto menos cor um diamante tiver, mais raro e valioso será.

Para classificar as cores, as pedras são avaliadas lado a lado com pedras mestras” com uma iluminação específica, sendo classificadas entre as letras D” (incolor) a Z” (amarelo-claro).

Pureza

Quase todos os diamantes contêm pequenos vestígios de carbono ou outros minerais, chamados de inclusões (no caso de serem impurezas internas) ou manchas (caso sejam externas). Estas só são percetíveis com lentes de ampliação e fazem com que cada pedra preciosa seja única e diferente.

Um diamante será tão mais valioso quanto menos impurezas tiver e é avaliado como puro se, quando ampliado dez vezes, não for visível nenhuma inclusão ou mancha.

Quilate

O quilate, equivalente a 0,2gr, é a unidade standard para calcular o peso de pedras precisas. Caso todos os fatores sejam idênticos, o diamante que tiver maior tamanho, será o mais valioso, mas o peso por si só não determina o valor de um diamante.

O peso em quilates de um diamante não indica necessariamente o tamanho do mesmo, pois um diamante pode ser mais pesado do que outro, mesmo tendo o mesmo tamanho, dependendo da profundidade da lapidação. 

O maior diamante já descoberto pesava 3.106 quilates e foi encontrado em 1905 na África do Sul, tendo sido entregue ao rei Edward de Inglaterra e posteriormente cortado em nove diamantes grandes e 100 mais pequenos. Três destes maiores estão em exibição na Torre de Londres como parte das joias da coroa.

Como cuidar de diamantes?

O pó, a poluição e a utilização diária são fatores que contribuem para o desgaste do brilho das pedras preciosas, pelo que além da limpeza com um kit específico para joias ou com um produto não abrasivo, os diamantes precisam também de manutenções periódicas profissionais.

A estrela de qualquer anel de noivado

Independentemente do estilo e cravação do anel de noivado, o diamante é sempre o centro das atenções.

 

O anel solitário (com um único diamante deslumbrante), o anel com auréola (com uma pedra central rodeada por um círculo brilhante de diamantes mais pequenos) e o anel Three Stone (com um trio de diamantes em perfeita harmonia), são os mais famosos, mas são infinitas as variações e estilos de anéis de noivado que pode encontrar hoje.

 

Se procura o anel perfeito para assumir o compromisso e surpreender a sua futura noiva, descubra a nossa seleção aqui https://anselmorosa.pt/inicio/428-anel-joias.html  , ou visite-nos no Amoreiras Shopping.

Produto adicionado ao comparador